Acha Que Sabe o Que é o Yoga?

Yoga, termo sânscrito associado ao conceito de união, é um movimento cultural milenar, que se desenvolveu na Índia, adquiriu projeção mundial, e tem hoje milhões de praticantes por todo o mundo.

De uma forma simplificada, não é nada mais, nada menos, que uma filosofia de vida, que visa o autoconhecimento, ou seja, a identificação do ser humano com a sua própria natureza e integração com o universo.

Usualmente a prática de Yoga está muito associada aos ásanas, às técnicas corporais, apesar desta filosofia ir muito além disso pois engloba várias técnicas como: pránáyáma, kriyás, mudrás, entre outras.

O que é o Yoga?

Pose de yoga

O Yoga é uma filosofia de vida ancestral, e hoje é considerada também, como uma ciência e como uma medicina complementar de prevenção e restaurativa. Trata-se de uma prática dinâmica, profunda, agradável e desafiante que une o corpo físico, os sentidos, a consciência e a mente num único Ser, o nosso, levando a um crescente bem-estar, auto conhecimento e felicidade.

Algumas pessoas definem o Yoga como arte ou ciência. Outras, como exercício ou técnica. Outras, como doutrina ou religião. Há gente que pensa que o Yoga seja um estilo de vida ou uma cultura. Porém, originalmente, o Yoga nasceu como uma visão muito especial sobre o ser humano e o seu papel na ordem das coisas, que incluía um caminho prático para o crescimento pessoal. Um caminho que conduz o ser humano à compreensão de si mesmo.

Uma das possíveis traduções da palavra Yoga que figuram no dicionário sânscrito é união, mas Yoga igualmente significa aplicação. Ou seja, o Yoga seria o meio e o fim ao mesmo tempo. Pois, tudo o que fazemos na vida, são meios para obter coisas. O que fazemos agora é um fim em relação a outra coisa, que por sua vez será um meio para realizar uma terceira, e assim sucessivamente. Porém, deve haver alguma coisa que seja apenas um fim em si mesmo, um fim último, que não sirva como meio para mais nada. Cabe lembrar igualmente que não existem fins separados dos seus meios. Para o yoga, a liberdade é o objetivo supremo.

Em sânscrito, liberdade diz-se moksha. Concretamente, moksha é libertar-se de condicionamentos e crenças, obstáculos para o crescimento, a plenitude e a realização da própria felicidade. Ensina a Bhavagadgíta: “Yoga é perfeição na acção”. Essa é uma visão tão ampla. Mas aqui temos um paradoxo: o que significa perfeição? A perfeição na acção não deve ser tomada no sentido de fazer uma acção “perfeita” na execução dos seus detalhes, mas em fazer fluir as próprias acções em harmonia com o dharma, o bem comum, reconhecendo que nosso privilégio é escolher como, quando e onde agir, mas não tentar controlar ou escolher os resultados das nossas acções.

Noutras palavras, perfeição significa viver consciente. Ao mesmo tempo, deve tomar-se o cuidado de não deixar que a busca dessa perfeição se transforme em uma obsessão. O grande sábio Patanjali explica o mesmo com outras palavras: “Discernimento constante é o meio para destruir a ignorância.” A ignorância, sobre nós mesmos é a causa de aflição.

Por outro lado, o Yoga não fica no plano das ideias nem se restringe unicamente a uma série de exercícios feitos na sala de prática. Com isso em mente, podemos dizer que praticar o Yoga é como participar num jogo: conhecendo as regras, jogamos por amor, relaxados, para conviver, apoiar e crescer junto daqueles que amamos. A única regra é permanecer totalmente consciente o tempo todo, de cada ato, a cada momento.

Pose yoga

Talvez possamos achar que o Yoga é algo separado de nós mesmos ou do nosso dia a dia. Algo que fazemos em algum momento e deixamos de fazer no momento seguinte, como ir às compras, ou falar ao telefone. O Yoga é para ser vivido, de maneira atenta e consciente. Esse viver consciente, essa atenção constante é a essência da prática e ao mesmo tempo o fruto do amadurecimento emocional, que é um processo gradual. Por isso, não convém dizer “eu faço Yoga”, pois na verdade, nós não fazemos Yoga. Ele já está feito! Entramos em Yoga (união) em certos momentos, através das atitudes conscientes. Isso tem a ver com o viver, com o estar plenamente cientes do momento presente.

A partir da definição que Patanjali dá: “Yoga é a supressão da (identificação com)
as modificações da psique”, vemos que a prática começa numa sede profunda por transcender os condicionamentos; vemos a necessidade de desenvolver as potencialidades humanas e realizar aquela que é a mais alta aspiração humana:
ousar viver a plenitude e a felicidade.

O método pelo qual o Yoga pretende atingir esse objetivo é a reflexão para a, auto compreensão e o encontro do nosso lugar na ordem maior. Nesse contexto, a prática de ásanas, pránáyámas e meditações busca reavaliar valores e paradigmas, libertar o corpo vital das inevitáveis “camadas” que fomos criando ao longo do tempo e polir o espelho do coração para que as emoções possam refletir plenitude.

Múltiplo em suas diferentes correntes e manifestações, o Yoga foi sempre fiel a um modo de ver o homem e de servi-lo: após a disciplina e a paciência exigidas pela prática, sente-se a calidez da sua solicitude carinhosa por todos e respeito por toda a criação. Seu caminho é radical mas acessível a todos e leva-nos ao reconhecimento de que já somos a felicidade que procurávamos.

Carla Canadas

Durante o mês de Agosto as inscrições nas aulas de Yoga são livres. Aproveitem a oportunidade e contactem para a marcação da primeira aula. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s