5 Tipos de Jejum Intermitente

5 tipos de Jejum Intermitente

O Jejum Intermitente é uma prática cada vez mais falada e praticada pelos seus diversos benefícios para a saúde e não só. Contudo existem vários tipos de Jejum e cada pessoa pode optar pelo que melhor se adequa ao seu organismo.

No artigo anterior vimos o que é o  Jejum Intermitente  e as vantagens que temos na sua prática. Em baixo temos uma lista dos vários tipos de Jejum Intermitente e como os praticar da melhor forma.

5 Tipos de Jejum Intermitente

  1. 12-12

    Esta é a forma mais simples de fazer Jejum Intermitente. Trata-se de terminar o jantar por exemplo às 20h e tomar o pequeno almoço às 8 da manhã. Muitos leitores irão dizer: “Mas isto já eu faço!” Ótimo, parabéns. Já tem tirado alguns benefícios ao longo desse tempo, mesmo sem o saber.

    Esta é também a forma que eu aconselho para quem quer começar, principalmente se tiver peso a mais e altos níveis de insulina. Se for esse o caso, mesmo 12 horas pode ser difícil para si principalmente porque vai querer comer antes de ir para a cama. E essa é a refeição que recomendo que retire em primeiro lugar. Não deve notar mudanças drásticas no seu corpo, mas é bom para começar. E não tenha pressa. É sempre melhor deixar o corpo habituar-se. E repare – já está a fazer Jejum!

  2. 14-10

    Consiste basicamente na mesma ideia do protocolo anterior, mas aumentamos o tempo de Jejum para 14 horas e a janela de alimentação passa a ser de 10 horas.

    Assim, se  terminar o jantar às 20h, vai tomar o pequeno-almoço por exemplo às 10 da manhã do dia seguinte. Se a pessoa tem um horário que lhe permite fazer isso então esta é uma boa opção. Caso contrário poderá deixar esta forma de Jejum Intermitente para o fim-de-semana. E  não tem problema algum em fazer um jejum de 12-12 durante a semana e optar por um de 14-10 ao fim de semana.

  3. 16-8 – Protocolo Leangains

    Este protocolo foi criado pelo sueco Martin Berkhan e consiste num período de jejum de 16 horas e numa janela de alimentação de 8 horas.

    Para fazer este protocolo basta não comer nada depois do jantar e saltar o pequeno-almoço no dia seguinte. Assim, se terminar de jantar às 21h, só vai comer  às 13h do dia seguinte. Dentro da janela de alimentação, pode fazer 2-3 refeições, ou até mais se quiser.

    As pessoas que acordam com fome costumam ter dificuldade no começo, mas a adaptação costuma ser bem rápida.

    Uma das óbvias vantagens do jejum de 16 horas é a possibilidade de praticá-lo diariamente.

    Nesse caso iremos ter os benefícios do Jejum todos os dias. Outra vantagem é permitir adaptar à vida social pois geralmente a pessoa salta apenas o pequeno-almoço.

  4. 24h – Eat-Stop-Eat (Come-pára-Come)

    Esta forma implica estar 24h sem ingerir alimentos. Apenas água, chá e café são permitidos (sem açúcar ou adoçantes).

    Este método foi popularizado por Brad Pilon e tem sido um dos protocolos mais usados. Para segui-lo, basta jantar hoje e não comer mais nada até a hora de jantar do dia seguinte.

    Dá para fazer de outras formas. Pode tomar o pequeno-almoço hoje e voltar a ingerir comida ao pequeno-almoço do dia seguinte. Mas esta não é a forma mais fácil pois implica ir dormir com a barriga vazia após muitas horas de jejum e muitas pessoas não conseguem.

    Quando voltar a comer não tente compensar comendo demais, principalmente se o fizer à noite.

    Este protocolo pode ser adaptado a qualquer estilo de vida. Tudo o que a pessoa tem de fazer é escolher o dia que lhe dá mais jeito. Pode ser praticado uma ou duas vezes por semana mas há quem o faça uma vez por mês. Como sempre tudo depende dos objectivos e do estilo de vida de cada um.

    O Jejum Intermitente de 24h diminui de forma bem eficaz os níveis de insulina e aumenta a hormona do crescimento. Por essa mesma razão facilita bastante o emagrecimento.
     

  5. WHEN

    Este é o tipo de Jejum adequado aos que já estão habituados a jejuar e/ou com um estilo de vida sem horários definidos. Foi difundido por Mark Sisson e consiste em comermos apenas quando realmente sentimos apetite.

    A pessoa pode fazer num dia um jejum de 12h e no seguinte um de 24h ou até de 36h. Como o próprio nome deixa adivinhar a pessoa deve aprender a ouvir o seu corpo e comer “quando” tem fome. É por isso bastante livre, intuitivo, e muito tranquilo.

    No entanto não é recomendado para quem está a iniciar esta prática porque a pessoa está habituada a cumprir horários e ainda está muito “ligada” à comida. Dizer-lhe “coma apenas quando lhe apetecer” pode acabar fazendo com que ela coma com intervalos muito curtos e passe dias sem fazer Jejum Intermitente. Leva algum tempo até aprender a escutar o corpo.

Num próximo artigo serão abordadas as questões mais frequentes sobre o Jejum Intermitente, dúvidas acerca de”passar fome” ou perder massa muscular e até em que casos não é indicado a prática do Jejum.
Quero salientar mais um vez a importância de procurarem sempre a ajuda de um profissional com formação na área da nutrição/saúde no caso de quererem iniciar a prática do Jejum Intermitente.

LIO MONK

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s